quinta-feira, 12 de junho de 2008

A audição

E 1,2,3 e 4. Pra um lado, pro outro. O ombro, o pé. Sobe e desce. A perna, pra frente, pra trás. Um pulo! Pose. 1,2,3,4. Estalando os dedos e andando pra trás. Agora o refrão! Pra um lado, pro outro. O ombro, o pé. Sobe e desce. A perna, pra frente pra trás.Um pulo! Pose.

Eram segundos mágicos. A roupa de dança o impressionara. A leveza, o andar, o jeito de se mover, de mexer nos cabelos e de dar as ordens. O cheiro de outono, a ausência de objetos e a frieza imponente das faces gélidas e petrificadas nos milhões de espelhos que cercavam a pequena sala de piso de madeira marfim, preguiçosamente iluminado por um fio de luz da janela, eram um ânimo e um refúgio: a vida estancara lá fora. Ali, tínhamos de ser livres.

Que pose eu faço? Não se preocupe com a pose. Dance! Sinta a música em você, não pense, não faça previsões, concentre-se. 1,2,3,4. De novo! Perguntou-se porque não insistira nisso. Queixou-se da falta de tempo para se fazer o que gosta. Repensou e voltou atrás mais de uma vez. Parou de pensar definitivamente. Sentiu a música correr pelo seu corpo, os movimentos saírem numa sequência quase natural.

Sorriu, parou. Entrou a outra turma, encostou-se à janela. Os olhos, miúdos frente ao sol amarelo de uma manhã azul que lhe tomava a face. Os cabelos, quentes e leves, amaciados pelo vento. As mãos geladas seguravam o parapeito metálico. Abriu-os: o jardim estava mais verde do que nunca. Fechou os olhos, já incomodados com a luz e o calor; imaginou a cena que acabara de ver. Dócilmente, sentiu suas mãos, cabelos e face. Repassou os movimentos mentalmente. Girava os calcanhares, enquanto sorria e balançava a cabeça.

Não podia evitar, porém, uma única e quente sensação. Felicidade.

2 comentários:

Alice disse...

como os blogs andam dançantes!
tão livres, leves e soltos.

como sempre, seu jeito de escrever é capaz de nos levar a qualquer lugar.

mas no fim, como foi a audição?

Fontes disse...

Felicidade.