terça-feira, 9 de setembro de 2008

My blueberry nights

Era como uma noite fria, de cachecól, cabelos bagunçados pelo vento, cigarros à tiracolo. Diálogos espertos - vagos e intencionais. Pessoas normais, nem sublimes nem banais. Com histórias de vida. Experiências, ressentimentos, confiança. Bom humor. O filme traduzia bem um universo particularmente encantador - simples, bonito, natural. Aquele que você encontra ali, na esquina. E quem já não flertou descompromissadamente?

Tragédias? É claro que havia. E das grandes. Mas nada que superasse a música de fundo, a ingenuidade da mocinha ou o sorriso do galã. E que tipos com que trombamos! Mas não seria melhor passar sem eles, afinal, talvez seja mesmo como Lizzie diz. Às vezes os outros funcionam como um espelho, aonde você enxerga melhor seus limites e seu contorno. Aonde você define sua personalidade. Ou coisa do tipo - o filme não é lá de precisões. Mas é como um amigo diz, depois de assistir dá aquela baita vontade de viver. De conhecer, de se apaixonar, de se magoar, de redescobrir a vida e de se reinventar a todo instante. Assim, agora.

-Alguém quer ir até a padaria?

Porque, no fim, sempre acreditei que tudo funcionaria exatamente dessa forma: nós imprimimos aquilo que queremos ter, ver, ser ou viver no nosso tempo. Nem que seja por um segundo. Ou uma noite. Ou um final de semana. Então, demorou, me vê aí uma blueberry pie!

3 comentários:

Clara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Clara disse...

É incrível como as coisas podem acontecer quando a gente menos espera, não é?
E o mais incrível ainda é que são justamente esses acontecimentos imprevisíveis os melhores de todos...

e acho que "Um beijo roubado" mostra isso melhor do que qualquer outro filme!!

[e norah jones tá até boazinha como atriz, né? ;)]

beijos!

obs: e fui eu que deletei meu próprio comentário aí em cima ¬¬.
erro de digitação, sabe como é...

Alice Agnelli disse...

esse é um dos filmes que eu quero muito muito ver.

e pelo que vc disse, parece ser daqueles que realmente dão um aperto...

...um aperto bom, que aperta tanto que traz a vontade de sair.
ver gente.
criar perguntas.
dar respostas.

e, por que não?
comer tortas de blueberry.

(se bem que pode ser de morango? acho que é mais fácil de se achar... hehe)