quinta-feira, 30 de julho de 2009

Annie Hall



Annie Hall ou, no Brasil, Noivo neurótico, Noiva nervosa é um retrato de uma geração. E de um diretor. Ali podemos ver Woody Allen em seus primórdios, as bases de seu cinema de forma muito mais evidente do que seus filmes atuais, os diálogos apressados, propositadamente sutis e sugestivos, o humor inteligente e sofisticado sob o ponto de vista de um contexto histórico efervescente, fértil e desafiador.

Assim é Annie Hall: o retrato aparentemente não comprometido de uma geração comprometida em buscar o que não sabia. Em buscar o novo em meio ao banal, em testar-se, em aprofundar-se, em ultrapassar moralismos e conservadorismos. Em reiventar a si mesmo e, se não o mundo, pelo menos aquilo que se encontra ao seu redor: discos, livros, ideologias, roupas, tabus, personalidades, hábitos. Acima de tudo, Allen deixa claro, relacionamentos.

Nenhum comentário: