segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Amor à Flor da Pele



Uma imersão na cultura tradicional chinesa. Só assim é possível compreender as inflexões, vacilações e o tempo do filme Amor à Flor da Pele, de Wong Kar-Wai. É incrível observar o quanto somos moldados pela cultura em que vivemos e o quanto nossas vidas tornam-se tão mais fáceis a partir do momento em que rompemos com preocupações pontuais. De preocupações, bastam as inevitáveis que surgem no decorrer da vida.

A fotografia colorida ameniza a frieza das personagens principais e os efeitos usados pelo diretor para sinalizar sentimentos e marcações de tempo - os mesmos usados em Um Beijo Roubado - são de uma precisão absurda. A trilha sonora novamente é um dos pontos altos dos filmes do diretor.

Vale a pena ouvir a versão de Nat King Cole pra música Quizas:
http://www.youtube.com/watch?v=2wQ4gJo0bII&feature=related

Um comentário:

Xenya Bucchioni disse...

Esse filme foi um dos mais bonitos que já vi! Poucos diálogos, tempos longos e música intensa. O eterno e cotidiano caminho para buscar o macarrão que é, em verdade, mera desculpa para sentir-se desejado e, portanto, vivo. Naquele trajeto, com o "sobe e desce" das escadas o casal sente a pulsação e lembram-se que, apesar da vida estar daquele jeito, eles ainda existem..sentem..desejam..
E tudo isso ao som de Quizá.