quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Por um semestre perfeito...na FFLCH

Meu semestre acaba de terminar. E eu estou realmente muito feliz! E não é porque o semestre acabou, porque vou entrar de férias, vou voltar para casa, vou poder assistir milhões de filmes, comer comida da mãe, etc. Simplesmente porque esse semestre foi PERFEITO! Na FLLCH...

Foram duas matérias simplesmente fantásticas, que me proporcionaram momentos de reflexões inacreditáveis, que me desafiaram a cada aula, que me propuseram novas formas de olhar o mesmo, novas significações, novas amizades, novas maneiras de me portar e de observar outras pessoas se portarem no espaço público, novos valores...

A vida que se renova na USP a cada semestre, que nos deixa extremamente saudosistas, nostalgicos pelo que acabou, que nos faz olhar para frente e apostar no próximo semestre, na próxima matéria, nos próximos desafios, no próximo crescer, no próximo mudar, no próximo se entender, entender os outros, entender a vida, nesse ciclo incrível de reciclamento permanente, principalmente nessa fase de graduação. Toda essa vitalidade que nos faz olhar para as coisas que deram errado e pensar: de quê adianta se preocupar com isso?

Penso no jornalismo, em todas as frustações por que passei durante o ano - e notadamente durante esse semestre especificamente - e me pego pensando: na verdade, só redescubro a cada dia mais o porque entrei no jornalismo. O quão diferente é o jornalismo em que acredito e o jornalismo que é praticado hoje. O quanto essas matérias da FFLCH me fazem olhar para o que antes parecia condenado e encontrar forças de acreditar que o impossível é possível, que existem as brechas, que existem os pormenores, que existe uma "história a contrapelo" como previa Walter Benjamin.

Incrível, incrível, incrível!

A todos que fizeram "Benjamin, Brecht e antropologia", obrigado por seus comentários, por nossas trocas de idéia a cada aula, por nossas divagações, por nossa seriedade, por nosso entusiasmo, por nossa vontade de ler e reler o mundo através de cada texto estudado, por nossa crença em algo que seja diferente do que está aí dado.

Felicidade.

PS: à ECA, se esse semestre foi tenebroso, com direito a professor pedindo pra aluno fazer pergunta para ser avaliado em prova, o que fica é a mesmíssima sensação: ainda há muito a ser feito. Por nós, alunos, que queremos e pensamos algo diferente do que a Escola de Comunicações e Artes nos propõe atualmente.

Nenhum comentário: