terça-feira, 13 de abril de 2010

Deslocamentos

E quem já não teve um deles? Ou não os sentiu? Deslocamentos de cidades, de casas, de ambientes, de climas, de sensações, de segurança, de amizade, de palavras. Quando você sente vontade de escrever, mas não consegue. Em português, inglês ou francês. Riem.

Quando o tempo te comprime e você se sente sufocado. É triste. Mas também pode não ser. É o que sempre tento pensar, afinal, somos nós quem damos corda a tudo que fazemos. E ao que somos e ao que queremos. É que, sabe, às vezes, é difícil. Realmente.

Mas bem, nada como uma soneca, um filme, a arte. O lúdico, o poético, o que há de lindo em cinco minutos de descanso entre esse compromisso e o próximo. Pois é, temos essa capacidade. Que deveria ser exercida mais vezes.

3 comentários:

Maria Joana disse...

Necessidade muito necessária. Ai, o tempo, e a falta dele...

Silas Luiz disse...

E quando você parece não caber mais no seu mundo? Quando você se percebe num entre-lugar...

Vou te confessar uma coisa assaz ridícula (talvez eu até me arrependa!): uma das últimas coisas que me prendiam à infância era meu gosto secreto (e um tanto duvidoso) por Sandy&Junior. Pois é, até hoje sei cantar músicas das antigas (Power Rangers? Vai ter que rebolar?).

Acontece que semana passada, quando vi que tinha vazado uma música do CD solo da Sandy fui correndo ouvir... Meu mundo caiu!!! Aquilo já não me dizia nada!

Vi que embora relute muito em me perceber com um adulto (5o ano da faculdade... hora de trabalhar... crescer, afinal) o Fantástico Mundo de Silas, criado por mim na infância (com a trilha sonora de S&j) simplesmente não me cabe mais. Além de medinho, dá um vaziiiio.

Ops, pra variar, me estendi demais, rs!
Beijo procê!

Alice Agnelli disse...

Deveria ser exercida mais vezes. E por que não é? Por quê?!