domingo, 2 de outubro de 2011

Maio de 68 - Uma Paris livre

Manifestação do maio de 68

Uma das mais de vinte barricadas feitas pelos estudantes


"A exaltação sobe de instante a instante. Das janelas, bandeiras vermelhas aparecem. Das sacadas, os jovens jogam flores vermelhas. Nós respondemos sutilmente: "A burguesia está conosco!". Estamos descontraídos, nenhum policial está à vista. É uma manifestação como nenhum de nós jamais vivera antes. É qualitativamente outra. O delírio ideológico tradicional está dissolvido. Não é uma multidão, agora trata-se de um corpo só. Nós não temos medo da sua ousadia porque nós estamos certos de sua lucidez. Estamos exultantes, mas na verdades nem um pouco surpresos. No fundo, é tudo muito normal: nós temos razão e nosso combate é justo. Tudo o que reivindicamos nos é devido.

Nós não sabemos mais nem ao menos aonde estamos. É tão exageradamente humano! As lágrimas surgem em nossos olhos antes mesmos que o gás lacrimogênio tenha sido disparado. Nisso vai tanto de cada um, em toda sua simplicidade, em toda sua natureza, que nós temos dificuldade de rotular essa cena. Revolta? Revolução?

[...] Aqui há vida. Aqui, somente vivendo, nós deslocamos a autoridade para as ruas [..] nós massacramos o poder do dinheiro em uma Paris livre."

Fonte: Mai 68.

Por dias, enfrentamentos com a polícia parisiense de dia....

...e de noite, atrás das barricadas

Nas faculdades: "Muito mais, a vida"

Assembléia geral do Movimento de 68 na Sorbonne ocupada

2 comentários:

Fabio Lombardi disse...

Somos livres hoje, aqui onde quer que estejamos. Quando vi propaganda politico partidaria que veicula preconceito fiquei mesmo boquiaberto. Que liberdade e essa que temos hoje? Que falar e esse? Que fazemos hoje? Tulio meu irmao queria mesmo que fizessemos uma liberdade por um ser humano mais livre. Humm.... Meu comentario nada tem a ver com teu post, mas ele me forcou a pensar mais.
Saudade sempre.

Fabio Lombardi disse...

BTW, uma pena nao poder usar acentuacao! #odeioteclado