quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A revolução

"Feurbach quis explicar a 'alienação religiosa', ou seja, o fato de que homens reais, sensíveis, representem a perfeição em um outro mundo suprasensível(com uma projeção de seres e de situações imaginárias com 'qualidades essenciais' propriamente humanas - em particular, o laço comunitário entre as pessoas ou o laço de amor que une os seres humanos). Tomando consciência desse engano, os homens seriam capazes de se reapropriar de sua essência alienada em Deus e na religião e assim poderiam viver verdadeiramente a fraternidade nesta terra.

Depois de Feurbach, filósofos críticos(entre os quais, Marx) quiseram estender o mesmo esquema a outros fenômenos de abstração e de 'depossessão' da existência humana, em particular aqueles relacionados à esfera política, isolada da sociedade, como uma comunidade ideal onde os homens seriam livres e iguais. Mas, nos diz Marx nas 'Teses para Feurbach', a verdadeira razão dessa projeção não é uma ilusão da consciência, um efeito da imaginação individual: é a cisão ou divisão que reina na sociedade, são os conflitos práticos que opõem os homens uns aos outros, os quais o céu da religião ou da política ordinária lhes propõe soluções miraculosas.




Eles não poderão sair verdadeiramente dessa situação sem uma transformação de ordem prática, abolindo a dependência de muitos homens em relação a outros. Não é portanto a filosofia que acabará com a alienação(pois a filosofia não foi senão o comentário, ou a tradução, dos ideais de reconciliação da religião e da política ordinária), mas sim a revolução, cujas condições residem na existência material dos indivíduos e em suas relações sociais."

Étienne Balibar, "La philosophie de Marx".


Só um comentário: de acordo com Marx, a teoria se verifica na prática e a única condição para conhecer o mundo é transformando-o, de maneira a balizar a teoria em sua essência prática. Descontextualizando o trecho, o qual gostei muito, fiquei com a impressão de que poderia haver um engano no sentido de se pensar que o que importa é somente a ação prática imediata - leitura bastante equivocada e infelizmente muito recorrende em vários grupos políticos.

Nenhum comentário: