sexta-feira, 18 de maio de 2012

"Menino diferente"

"Em um dado momento da pesquisa, uma das professoras chamou nossa atenção para um “menino  
diferente”. Entre quatro meninas, o menino corria no pátio sem perceber que era observado. Mas assim que percebeu a filmadora parou à sua frente e iniciou uma série de movimentos, enquanto o restante do grupo foi alertado para a existência da câmera. O menino, nas pontas dos pés, simulou passos de balet clássico. Delicado nos movimentos e expressões faciais, não hesitou em demonstrar força na disputa com uma menina pelo melhor espaço na frente da máquina. Foi identificado como o protagonista de uma história relatada pela professora sobre um menino que se vestia com saias na brinquedoteca, para brincar de casinha. O relato trazia um tom de estranhamento e algo de acusatório. Seria a questão da sexualidade pré-estabelecida problemática também para os agentes escolares ? O detalhe da sua vestimenta chamou bastante a atenção, a sunga de banho na cor rosa. Haveria no ar medo da homossexualidade, vigilância sobre os meninos diferentes?

Meninos em aula de balé

Em outro ponto do espaço, mais afastado do centro do pátio, entre latões vazios e uma cerca de madeira, encontramos uma menina em meio a um grupo de meninos. Vestida de short demonstrava habilidades semelhantes às dos meninos com quem brincava. Agrupados em um bloco pareciam brincar de polícia e ladrão. O cárcere era constituído por um espaço delimitado por cerca e se alternavam na fiscalização do prisioneiro. A menina participou de todas as etapas da brincadeira, sem aparente diferenciação. Durante a fuga do prisioneiro, que aconteceu no momento em que a menina fiscalizava, todos empenharam-se em recuperá-lo, sem resultado positivo, mas também não responsabilizando a menina pelo episódio. A brincadeira terminou aí com a dispersão do grupo. A harmonia deste grupo despertou nosso interesse, essa menina em meio aos meninos era a mesma que iniciara o ano fantasiada de Batman.

As duas crianças estavam supostamente “fora de seus lugares”, o menino de rosa e a menina de short, no entanto apenas o menino foi apontado pela professora. Haveria maior flexibilidade para as mulheres nas fronteiras do gênero?" *

 Lauren, a protagonista que se apresentava como Michael no filme Tomboy

*A Educação infantil entre o rosa e o azul: uma aquarela de possibilidades - Flávia Teixeira, Universidade Federal de Uberlândia
http://www.ichs.ufop.br/conifes/anais/EDU/edu0204.htm

Nenhum comentário: